quarta-feira, 26 de junho de 2019

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

O Campeão voltou no Futsal! No Basquetebol sucumbimos em casa.

Confira o rescaldo de um final de temporada agridoce nos pavilhões.


E o Benfica é Campeão! Perdeu no Jogo 4 mas no "mata-mata" foi superior e conquistou o oitavo título de Futsal da sua história. Parabéns a todos! BENFICA!

O Museu Cosme Damião está mais recheado. Depois de erguemos a Taça da Liga, vencemos o Campeonato Nacional. Em nove derbys, no tempo regulamentar só perdemos um jogo com o rival leonino nesta temporada (e foi o da segunda volta da Fase Regular em que apesar da derrota permanecemos na dianteira da classificação com dois pontos de avanço). Foram vários os jogos entre os "eternos rivais", dois crónicos candidatos a levantarem todos os troféus em disputa, que tiveram carácter decisivo. Em larga medida pautados por uma abordagem mais táctica e decidida nos detalhes. A derrota na Final da Taça de Portugal, no desempate por grandes penalidades, e o empate que se revelou insuficiente para atingirmos a "Final Four" da UEFA Futsal Cup, fazia pender a balança para o lado leonino mas nesta Final do Campeonato isso se inverteu. E está assegurada a Reconquista. Impedimos o rival de se sagrar tetra-campeão, mas o que importa é que alcançamos o título. Atingimos o objectivo principal pelo que só se pode considerar como positiva esta temporada. Sobram menos dúvidas sobre o que será a realidade em 2019/2020. Pois já está certo que Joel Rocha irá continuar como treinador. A Direcção entendeu renovar a confiança no jovem técnico, que chegou ao Benfica em 2014/15 e que acabou de conquistar o seu segundo ceptro. A decisão está tomada. Havia decerto prós e contras, e deduzimos que se avaliou o trabalho de Joel ao longo dos cinco anos ao leme encarnado. Esperamos bem que todos os dossiers sejam alvo de uma boa análise e que possamos continuar no caminho de sucesso. Porque temos que ganhar mais e captar a hegemonia nacional!

Na tarde de Quinta-feira, o Sporting empatou a série e levou a decisão para a "negra, fruto da vitória por 5-3, num Derby resolvido no tempo extra.

Estavam decorridos 6 min de jogo, e os leões adiantaram-se no marcador mercê da passividade encarnada em zona frontal. Pedro Cary recebeu ordem de expulsão, após falta sobre Fernandinho dentro de área. Na cobrança da grande penalidade André Coelho fez o empate com um remate bem colocado. Entretanto o Benfica ficou tapado por faltas e pouco depois o SCP voltou à vantagem, numa iniciativa individual de Merlim. A turma leonina também atingiu a 5ª falta. A 5 min do descanso regulamentar, houve livre directo favorável aos de Alvalade. André Correia entrou para defender o livre de 10 m e assim o fez e pouco depois voltou a entrar na quadra e voltou a levar a melhor em mais duas ocasiões soberanas para o SCP. O marcador não sofreu mais mexidas até ao intervalo.

Não foi preciso esperar muito tempo na segunda parte para ver Chaguinha a repor a igualdade com um desvio oportuno. O jogo prosseguiu com ambas as equipas algo expectantes. Estava reservada emoção para a recta final da partida. Primeiro, Fábio Cecílio desfez o empate, na conclusão de uma transição rápida e bem delineada. Depois, Sporting avançou com o "5 para 4" e a cerca de 30 segundos do final empatou e levou o jogo para prolongamento.

Águias condicionadas em virtude das cinco faltas averbadas. E entrou em acção uma dupla de arbitragem caseira. Apitando uma falta inexistente de André Coelho, o que se traduziu no livre directo de 10 m a favor dos leões. André Correia ainda defendeu mas na recarga Rocha não perdoou e logo de seguida Varela em contra-ataque facturou e fixou o resultado final. Estes dois golos de rajada mataram as aspirações encarnadas. Marc Tolrà, por questões de natureza física, não foi opção e juntou-se a Raul Campos e Rafael Henmi na bancada.

Os pupilos às ordens de Joel Rocha triunfaram na "negra", por 4-3, e sagraram-se Campeões Nacionais! Excelente ambiente vivido no Pavilhão Fidelidade. Ao Benfica o que é do Benfica!

Raul Campos foi a novidade lançada pelo técnico benfiquista (no lugar de Fits) e, com o seu instinto goleador, foi o elemento preponderante no Derby decisivo. À passagem do min 7 abriu o marcador, com uma remate cruzado após passe magistral de Fernandinho, e no espaço de pouco tempo, com classe, dobrou a vantagem da equipa comandada por Joel Rocha. O Benfica estava forte na quadra, mais perigoso e a carregar no acelerador, mas contra a corrente do jogo, Cardinal reduziu a desvantagem, com Roncaglio um pouco mal batido. Estávamos sensivelmente a meio do 1º tempo. Aos 12 min deu-se o empate, numa falha clamorosa de Roncaglio a deixar a bola passar entre as suas pernas. A reacção dos encarnados foi energética. Bruno Coelho voltou a dar vantagem aos encarnados, após grande assistência de Robinho na sequência de uma reposição lateral defensiva. Logo de seguida Raul Campos assinou o "hat-trick". Próximo da área leonina, pressionou e interceptou um passe longo de Erick e no ressalto fez golo, com Guitta fora da baliza. Perto do intervalo a formação de Nuno Dias reduziu para 4-3, após má saída para o ataque de Fábio Cecílio que deixou Rocha sem marcação no interior da nossa área. Foi uma primeira parte realmente muito intensa, electrizante.

Na segunda parte, o Benfica fechou bem a sua baliza e soube gerir muito bem o jogo. Toda a equipa esteve muito unida, consistente, preocupada em não cometer erros e determinada na Reconquista. O Sporting arriscou no "5 para 4" durante bastante tempo, levando o Benfica naturalmente a baixar as linhas, mas foi quase sempre inconsequente e apenas nos últimos instantes é que dispôs de uma oportunidade de golo ao enviar uma bola ao poste. O Benfica é o Campeão!

Resultado Final do 4º Jogo da Final dos Playoffs

Sporting 5-3 (a.p) SL BENFICA

Resultado Final do 5º Jogo da Final dos Playoffs

SL BENFICA 4-3 Sporting



O Benfica sucumbiu e a Oliveirense carimbou com mérito o título pelo segundo ano consecutivo de Basquetebol.

A derrota no Jogo 3 foi um golpe duro e depois não conseguimos forçar a "negra". Chega assim ao fim uma época muito atrapalhada e marcada pelo insucesso. Foram vários os acidentes no percurso e era expectável de alguma forma este desenlace perante uma sólida Oliveirense. Esta incursão pelo mercado espanhol não correu francamente bem e o regresso de Carlos Lisboa revelou-se infrutífero. A época até não parecia mal encaminhada no início. Depois da ida ao Dragão Caixa, quando surgiu o primeiro desaire, a história foi outra e começou o descalabro. Esta secção está um rebuliço e ninguém dá a cara por este completo fracasso. Há quem goste de puxar para si os louros da vitória, mas quando perde é mestre em escapar às responsabilidades.

No Jogo 3, as contas complicaram-se face à derrota por 82-87, após prolongamento. O Benfica só se pode queixar de si próprio pois na ponta final do desafio deixou fugir a vitória.

Entramos mal na partida, mais de 4 min sem pontuar. A falta de ideias no ataque era notória. Quando não existia jogo exterior vinha ao de cima a dificuldade encarnada na manobra ofensiva. Pese embora a falta de lucidez no ataque conseguimos mantermo-nos em jogo, com a UDO também sem convencer muito. De tal forma que se registava um 34-32 ao intervalo.

O Benfica veio para o segundo tempo com uma boa atitude defensiva e descolou no marcador. Estávamos bem na partida mas na fase decisiva do encontro claudicamos imenso e permitimos que a Oliveirense recuperasse de uma desvantagem considerável e conseguisse levar o jogo para prolongamento (71-71 no final).

No tempo extra, a maior segurança defensiva e perspicácia/eficácia no sector ofensivo dos de Azeméis fez a diferença. O Benfica ficou abalado pela forma como não conseguiu fechar o jogo no tempo regulamentar. Micah Downs cotou-se como MVP do encontro com um duplo-duplo (32 pontos e 17 ressaltos). No entanto a sua perfomance individual não foi suficiente para o triunfo encarnado. Fomos demasiados "Micahdependentes".

O Benfica teve nova oportunidade na Luz, no Jogo 4, mas perdeu de forma expressiva, por 72-97.

A turma de Norberto Alves renovou o título com justiça. A maior qualidade colectiva fez a diferença. Não têm mais recursos ao nível da rotação de plantel do que nós, mas possuem um melhor cinco, são melhores a defender e no ataque são eficazes.

A partida na sua fase inicial pautou-se por um bom ritmo em termos ofensivos, com os pontos a sucederem-se nas duas tabelas. 23-28 no final do 1º Período. Até ao intervalo a UDO, com maior clareza no processo ofensivo, aumentou a vantagem para 12 pontos (41-53).

As águias no cômputo geral optavam pelo tiro exterior, e com pouca assertividade, e a ligação com Micah Downs não estava a funcionar. Ainda assim, no terceiro período conseguimos encurtar distâncias e o público empolgou-se. Porém do outro lado estava um conjunto determinado e que jamais teve oscilações emocionais. O Benfica desorientou-se e a tarefa voltou a complicar e de que maneira. Não teve qualquer hipótese face à eficácia do tiro exterior da Oliveirense.

Resultado Final do 3º Jogo da Final dos Playoffs

SL BENFICA 82-87 (a.p.) Oliveirense

Resultado Final do 4º Jogo da Final dos Playoffs

SL BENFICA 72-97 Oliveirense


Para consulta de tudo sobre a época 2018/2019 das modalidades, pode ver aqui:





Porque o SL Benfica não é só Futebol...

SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!


segunda-feira, 17 de junho de 2019

SLB não consegue destronar UDO

Basquetebol - Jogo 4 da Final dos Playoffs

Resultado Final: SL BENFICA 72 - 97 Oliveirense

(1ºp: 23-28; 2ºp: 18-25; 3ºp: 18-18; 4ºp: 13-26)

Marcadores: Micah Downs (16), Cláudio Fonseca (13), Fábio Lima (1), Mickell Gladness (6), Juan Cantero (3), Jaques Conceição (6), José Silva (10), Álex Suárez (7), Miguel Maria (10).



domingo, 16 de junho de 2019

Campeões Nacionais de Futsal pela oitava vez!!!

Futsal - Jogo 5 da Final dos Playoffs

Resultado Final: SL BENFICA 4 - 3 Sporting

(4-3 ao Intervalo)

Marcadores: Raul Campos (3), Bruno Coelho.













sábado, 15 de junho de 2019

Águias ficam "entre a espada e a parede"

Basquetebol - Jogo 3 da Final dos Playoffs

Resultado Final: SL BENFICA 82 - 87 (após prolongamento) Oliveirense

(1ºp: 12-17; 2ºp: 22-15; 3ºp: 13-13; 4ºp: 24-26; 1° Prol : 11-16)

Marcadores: Micah Downs (32), Fábio Lima (9), Tomás Barroso (10), Mickell Gladness (6), Juan Cantero (4)Arnette Hallmann (11), Miguel Maria (5), Álex Suárez (5).





sexta-feira, 14 de junho de 2019

Título será decidido Domingo na Luz

Futsal - Jogo 4 da Final dos Playoffs

Resultado Final: Sporting 5 - 3 (após prolongamento) SL BENFICA

(2-1 ao Intervalo; 3-3 no Final)

Marcadores: André Coelho, Chaguinha, Fábio Cecílio.





quinta-feira, 13 de junho de 2019

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

Entre Quinta e Segunda-feira, todo o universo benfiquista estará focado nos compromissos decisivos em Futsal e Basquetebol. É hora de todos juntos rumarmos para a glória e fechar com chave de ouro a temporada nos pavilhões. Queremos todos gritar que o Campeão voltou, em ambas as modalidades.

Confira a antevisão sobre as partidas cruciais pela frente.


O Benfica está na frente da Final dos Playoffs do Campeonato Nacional de Futsal, e esta Quinta-feira o Sporting joga o tudo ou nada na recepção ao eterno rival. O Jogo 4 tem início às 17 horas e será transmitido em directo e exclusivo na RTP 1.

A uma vitória do título de campeão nacional, tal como estava na época passada, esperemos que desta feita o Benfica seja mais feliz, mas para isso também tem de ser mais ambicioso, determinado e conquistador. Não esperamos um Benfica expectante com a "almofada" de ter uma eventual "negra" em casa, queremos ver em Alvalade um Benfica claramente à procura da vitória.

É certo que o ónus da maior responsabilidade para este jogo está do lado contrário, mas isso não interessa nada. A forma que o Benfica tem de mexer ainda mais com a instabilidade que paira sobre o adversário, entre castigos internos e externos, queixinhas e desculpas, é de continuar a impor o seu jogo, continuar a querer ser dominador, e querer resolver o campeonato já hoje.

Como se viu na última partida, parte do sucesso estará certamente no controlo emocional, e depois em anular bem o jogo contrário, muito dependente do pivot, e ser criativo, objectivo e determinado no ataque, evitando as finalizações fáceis. Há que aproveitar todos os momentos de ascendente, há que saber travar o ímpeto contrário. O Benfica tem mostrado bem nesta Final que sabe o que tem a fazer, é voltar a trabalhar duro para conquistar o sucesso.

A eventual "negra" está marcada para as 14h20 de Domingo, 16 de Junho. Esperemos mesmo que não seja preciso este jogo.

Campeonato Nacional (Playoffs) - Jogo 4 da Final

Quinta - dia 13:

Sporting-SL BENFICA 17h RTP 1

Campeonato Nacional (Playoffs) - Jogo 5 da Final (Em caso de necessidade)

Domingo - dia 16:

SL BENFICA-Sporting 14h20 RTP 1


Depois de uma vitória para cada lado, os próximos dois jogos da Final dos Playoffs do Campeonato Nacional de Basquetebol terão lugar no Pavilhão Fidelidade e serão transmitidos na RTP 2.

Na Sexta-feira, a partir das 19h30, será dado o apito inicial do Jogo 3. À mesma hora, na Segunda-feira, terá início o Jogo 4. 


Depois de trazer uma vitória e uma derrota dos primeiros jogos, o Benfica conseguiu "inverter" para já o factor "casa" desta Final, e tem agora estes dois jogos em sua casa para ganhar e ser campeão. Lembrando que a Oliveirense está a uma só vitória de levar a decisão para sua casa, e também, tal como o Benfica, a duas vitórias do título.

Desengane-se quem pensa que o Benfica tem tarefa fácil, nada disso. Agora o Benfica provou nos últimos 70 de 80 minutos de basquetebol entre as duas equipas, que quer ser campeão, que tem argumentos para isso. Desde logo uma rotação mais profunda e de maior qualidade, que consegue aportar à equipa algo mais com os jogadores vindos do banco relativamente ao adversário.

E claro, que o Benfica tem formas e estratégias de condicionar o adversário, por exemplo, trabalhar mais no jogo interior para forçar faltas a Coleman, utilizar Jacques para marcar Travante, condicionar as opções a José Barbosa... Argumentos não faltam, e de uma certa forma a Oliveirense acaba por ser mais previsível. Há que entrar de cabeça limpa neste jogos, saber bem que o factor casa pode ser importante mas não é decisivo. O Benfica tem de impor o seu jogo e ter noção que o adversário jamais baixará os braços.


Ao público compete-lhe comparecer em massa na Luz, apoiar incessantemente a equipa de começo a fim do jogo. Vamos ter certamente presença forte, pelo menos na Sexta-feira, de público visitante também, por isso há que apoiar de forma constante durante todos os minutos de jogo. Que a felicidade esteja do nosso lado!

Campeonato Nacional (Playoffs) - Jogo 3 da Final

Sexta - dia 14:

SL BENFICA-Oliveirense 19h30 RTP 2

Campeonato Nacional (Playoffs) - Jogo 4 da Final

Segunda - dia 17:

SL BENFICA-Oliveirense 19h30 RTP 2


Para consulta de tudo sobre a época 2018/2019 das modalidades, pode ver aqui:





Porque o SL Benfica não é só Futebol...

SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!






quarta-feira, 12 de junho de 2019

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

A passada jornada desportiva não foi plena de triunfos, mas quase! Seja em Basquetebol seja em Futsal estamos com reais possibilidades de fechar a temporada da melhor maneira. Rumo à Reconquista! 

Fique com a nossa visão sobre os quatro jogos disputados.


Estamos na frente da Final dos Playoffs do Campeonato Nacional de Futsal. Vencemos em Alvalade e na Luz fizemos o 2-1 na luta pelo título. Acredita BENFICA!

O Sporting tinha ganho na Luz, o Benfica respondeu e foi ao Pavilhão João Rocha vencer no Jogo 2 por 3-6, um número que traz boas memórias para a massa adepta encarnada.

Vitória justa da melhor equipa na quadra. Colectivamente fomos mais capazes e exploramos bem as vulnerabilidades de Guitta nos remates de meia e longa distância. Realce para um 2º tempo de luxo, com o Benfica claramente determinado e projectado para a baliza sportinguista e a virar o jogo de 1-0 para 1-4. A inclusão de Marc Tolrá trouxe indubitavelmente consistência ao nosso sector defensivo. E bem sabemos o quão relevante é proteger bem a nossa baliza em desafios deste carácter. Fernandinho e Raul Campos não constaram na ficha de jogo.

Os primeiros 20 min do encontro foram pouco interessantes, com ambos os conjuntos um pouco amorfos e com pouca criatividade na componente ofensiva. O Sporting com praticamente 4 min decorridos de jogo abriu o activo, apanhando as águias em contrapé. Até ao intervalo não houve mais mexidas no marcador.

Na segunda parte, a historia do jogo completamente diferente, para melhor, com muito assunto. O Benfica foi mais audaz, móvel, incisivo e pressionante e não teve piedade perante o desnorte dos anfitriões. Tudo começou num disparo de André Coelho. O internacional luso demonstrou que está recuperado da lesão sofrida e que realmente possui um "pontapé canhão" e surpreendeu Guitta. O ascendente encarnado avolumou-se por intermédio de Fábio Cecílio. O camisola 5 atirou de meia distância e operou a reviravolta, com o guardião contrário novamente a não ficar isento de responsabilidades. A sensivelmente 6 min do fim foi a vez de Robinho fazer o gosto ao pé, após solicitação primorosa de Fits. Os leões avançaram naturalmente com o "5 para 4", todavia foi o Benfica a chegar de novo ao golo. Fábio Cecílio aproveitou um erro de Dieguinho e não perdoou perante a baliza deserta. Estava feito o 1-4. Desengane-se quem pensasse que o jogo estava resolvido, pois os leões arriscaram com o "guarda-redes avançado" e de rompante reduziram para a diferença mínima. Se no primeiro jogo Guitta foi o herói, desta vez coube a Roncaglio. O guardião encarnado rematou de baliza a baliza a 1 min do fim, naquele que foi um duro golpe nas aspirações leonina. Nos últimos suspiros do jogo o Capitão Bruno Coelho dobrou a vantagem da equipa chefiada por Joel Rocha

No regresso à Luz, o Benfica não desiludiu a sua plateia e venceu o Jogo 3 por 4-3, o que significa que virou o tabuleiro a seu favor. Falta uma vitória para a Reconquista!

Estava feito o mais difícil, que era ir ao reduto do rival alcançar a igualdade na Final e recuperar o factor "casa". Importava então não voltar a repetir as mesmas falhas do primeiro embate e obviamente consumar a reviravolta da série na Luz. E para gáudio dos benfiquistas que lotaram o pavilhão a missão foi cumprida.

Desde a fase tenra da partida o Benfica mostrou-se autoritário, concentrado e empenhado em efectuar a cambalhota na Final. À passagem do min 5, o artilheiro Fernandinho (que relegou Fits para a bancada) recuperou a posse do esférico no meio-campo e de pronto atirou a contar, aproveitando o adiantamento de Guitta. Logo depois houve uma enorme contrariedade para Nuno Dias, por causa da expulsão de Dieguinho. Em superioridade numérica, as águias não tiveram cerimónias e ampliaram para 2-0, através de uma emenda certeira de André Coelho. Depois de um início atribulado para o SCP e que corria de feição para as hostes encarnadas, a qualidade de jogo diminuiu, muito embora com o Benfica por cima. A menos de 6 min do intervalo, Pany Varela encurtou distâncias de bola parada, com Roncaglio a não ficar bem na fotografia.

Nos segundos 20 min o jogo teve mais interesse como era expectável. Até porque no recomeço  as águias fizeram dois golos de rajada. Tolrá rasgou a defesa leonina com um passe para Robinho que serviu Fernandinho e o experiente matador brasileiro dilatou a vantagem benfiquista, numa excelente jogada colectiva. Depois o génio de Robinho andou à solta. O 10 não foi na cantilena de Cardinal e fez estragos com o seu mágico pé esquerdo, deixando Guitta pregado ao chão. Não tardou a resposta alheia, com Erick a desferir um míssil que só parou no fundo das redes. Nesta fase o Benfica recuou claramente as linhas e pôs-se a jeito, isto sem descurar o mérito do oponente. A menos de 7 min do apito final, os leões reduziram para 4-3, após iniciativa individual de Rocha. O Benfica com grande espírito de sacrifício soube aguentar o tudo por tudo dos tri-campeões, que apostaram tardiamente na situação de "guarda-redes avançado", e arrecadou um triunfo sofrido mas muito precioso.

Resultado Final do 2º Jogo da Final dos Playoffs

Sporting 3-6 SL BENFICA

Resultado Final do 3º Jogo da Final dos Playoffs

SL BENFICA 4-3 Sporting 


Ao cabo de dois jogos em Oliveira de Azeméis, regista-se um empate na Final dos Playoffs do Campeonato Nacional de Basquetebol. Seguem-se dois embates na Luz, pelo que o Benfica tem a vantagem "casa". Está tudo nas nossas mãos!

No Jogo 1, saímos derrotados por 85-75. Colectivamente as coisas não funcionaram como forçosamente tem de acontecer nestes jogos de elevado grau de dificuldade e socorremo-nos da inspiração individual de dois ou três jogadores.

Ademais, o péssimo arranque por parte do conjunto encarnado tornou-se decisivo para o desenlace favorável aos campeões nacionais em título. Ainda assim a reacção encarnada foi bastante aceitável, com Micah Downs a assumir as despesas autenticamente (o norte-americano foi o MVP ao somar 31 pontos, 6 ressaltos e 7 assistências).

As coisas não se afiguravam nada fáceis e o cenário piorou com uma entrada periclitante, em oposição a um primeiro período fulgurante e avassalador por parte dos homens de Norberto Alves. O parcial de 33-15 reflecte bem a forma como a UDO se impôs desde os instantes iniciais da partida. Há mérito claro está pela formidável produção ofensiva, contudo não é menos verdade que a prestação defensiva dos comandados de Carlos Lisboa deixava muito a desejar, para ser simpático. Como acima mencionado o Benfica lá acordou e reagiu bem, condicionando a manobra atacante contrária. Ao intervalo a desvantagem ainda era considerável (47-32). As águias continuaram em crescendo, mais coesos e menos passivos na defesa, e com Micah Downs como protagonista em termos ofensivos, que redundou numa recuperação clara no marcador (65-62). A armada encarnada aproximou-se, porém entretanto a União despertou e com o apoio do seu numeroso público voltou a descolar e de modo definitivo.

No Jogo 2, os pupilos de Carlos Lisboa asseguraram uma vitória deveras saborosa e importante, por 74-81, pelo que está tudo empatado na luta pelo título.

A chave desta vitória esteve ligada à boa actuação no sentido colectivo, quer na vertente defensiva, isto é, sempre que possível a causar dificuldades à circulação de bola da UDO e a condicionar os lançamentos, quer a nível ofensivo. É nítido que a nossa equipa procura de forma abundante o jogo exterior e essencialmente Micah Downs. Eventualmente pode não ser o que em termos teóricos se pede a uma equipa que seja candidata ao título mas a realidade é que mesmo sendo um jogo menos elaborado e previsível, e dependente da inspiração individual, o plano tem resultado.

Ambas as equipas entraram assertivas em matéria ofensiva e o equilíbrio foi nota dominante durante boa parte do duelo, como espelha o 38-36 ao intervalo. Pese embora a quantidade de 'turnovers' cometidos pelas águias, caso contrário porventura teria sido o Benfica a recolher aos balneários na dianteira do "score".

Ao invés do primeiro jogo, os encarnados estiveram mais consistentes e solidários nos vários momentos e isso revelou-se fulcral para a reposição da igualdade nesta luta acesa pelo ceptro. O jogo só foi resolvido nos derradeiros 10 min, com ambas as formações a provarem o porquê de estarem a discutir o título entre si, onde finalmente se fez valer a qualidade de Micah Downs. O extremo voltou a ser o melhor em campo, com 22 pontos e 7 ressaltos, secundado do lado encarnado por Mickell Gladness (8 pontos e 10 ressaltos) que esteve em bom plano no jogo interior.

Resultado Final do 1º Jogo da Final dos Playoffs

Oliveirense 85-75 SL BENFICA

Resultado Final do 2º Jogo da Final dos Playoffs

Oliveirense 74-81 SL BENFICA


Para consulta de tudo sobre a época 2018/2019 das modalidades, pode ver aqui:





Porque o SL Benfica não é só Futebol...

SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!


segunda-feira, 10 de junho de 2019

Equipa de Carlos Lisboa vence em Oliveira de Azeméis

Basquetebol - Jogo 2 da Final dos Playoffs

Resultado Final: Oliveirense 74 - 81 SL BENFICA

(1ºp: 22-21; 2ºp: 16-15; 3ºp: 15-17; 4ºp: 21-28)

Marcadores: Micah Downs (22), Fábio Lima (10), Tomás Barroso (2), Mickell Gladness (8), Rafael Lisboa (4), Juan Cantero (12)Arnette Hallmann (6), José Silva (5), Álex Suárez (12).