quarta-feira, 6 de março de 2019

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

Sete jogos, sete triunfos. Saldo plenamente positivo para a armada encarnada na pretérita jornada desportiva.

Confira a análise possível a todos os encontros disputados.


Missão cumprida, em dose dupla, para a 1ª Fase do Campeonato Nacional de Basquetebol.

Dois jogos em que ficou patente o mau momento de forma que atravessamos, de uma instabilidade gritante. Contra os dois últimos classificados exigia-se duas vitórias robustas. Porém, foram duas lutas acesas e alcançamos apenas o objectivo mínimo: somar duas vitórias. Aumentamos para 4 pontos a vantagem sobre o FC Porto, fruto da derrota portista em Ílhavo. Seguimos no encalço da Oliveirense.

Na Sexta-feira, recebemos e batemos o Imortal Basket Club por 88-80, em duelo alusivo à 19ª Jornada.

Em suma, uma exibição fraca, com claros problemas na defesa e pouca conexão e lucidez no momento ofensivo. Aliás, isto resume de grosso modo os dois jogos do passado fim de semana ante duas equipas aguerridas, desinibidas e muito esforçadas, mas que não possuem de longe os recursos e as ambições da equipa dirigida por Arturo Álvarez. 

Nota de destaque para a estreia de Mickell Gladness, a deixar água no bico. Ele, com um duplo-duplo (16 pontos e 10 ressaltos), e Micah Downs (17 pontos, 9 ressaltos e 6 assistências) cotaram-se como as peças encarnadas mais valorizadas. O poste revelou que tem tudo para ser uma mais valia debaixo do cesto. Claro está que necessita de aprimorar o seu rendimento e o respectivo entrosamento com os seus colegas de equipa. Cabe ao líder das águias optimizar as características do norte-americano em prol do colectivo.

Perante o "lanterna vermelha", o Benfica entrou naturalmente por cima e cavou uma boa vantagem (26-14 no final do 1º quarto). O pior veio depois. Até ao intervalo reinou a desconcentração e a precipitação. Em sentido oposto, os algarvios subiram o nível em termos de eficácia e aproximaram-se no marcador, recolhendo aos balneários a perder por 40-36.

Nos segundos 20 min, o Benfica conservou a vantagem sem grande fulgor, alternando momentos determinados em alargar o fosso com períodos de desnorte no ataque e de notória passividade defensiva, permitindo que o egoísmo de Quentin Snider, autor de 24 pontos, levasse o Imortal às costas. O jogo esteve em aberto até aos segundos finais. Pese embora os calafrios sentidos, imperou a lei do mais forte.

No Domingo, na condição de visitante, derrotamos o Galitos Barreiro, por 77-81, em partida referente à 20ª Jornada.

A turma anfitriã entrou mais decidida no desafio, tendo chegado ao final do 1º quarto a vencer por sete pontos de diferença (20-13). As águias, em oposição aos locais, apresentaram-se pouco esclarecidas no ataque sobretudo a nível posicional. De resto, ao longo da partida foi confrangedor assistir à falta de ideias do nosso processo ofensivo. Até ao intervalo (37-32), pese embora uma clara inconsistência do nosso jogo, estivemos mais assertivos no ataque.

O Benfica voltou ao terreno de jogo determinado. Recuperou distâncias e passou para a frente, à boleia de Micah Downs (o que espelha a forma pouco colectiva como atacamos), a meio do 3° quarto (45-47). Galitos reagiu e entrou nos derradeiros 10 min na frente do marcador (56-51). Até ao fim, o equilíbrio foi nota dominante, com oscilações no comando do marcador, contudo a maior capacidade física das águias fez a diferença que arrancaram para a vitória já dentro do min final. Repetiram-se os contornos do jogo anterior, isto é, o duo formado por Mickell Gladness, com novo duplo-duplo (15 pontos e 16 ressaltos), e Micah Downs (29 pontos e 4 assistências) fez a diferença.

Resultados Finais da 19ª Jornada (1ª Fase)

SL BENFICA 88-80 Imortal
V. Guimarães 67-82 Terceira Basket
Galitos Barreiro 70-111 Oliveirense
CAB Madeira 82-77 Ovarense
Illiabum 90-76 FC Porto
Esgueira 77-85 Lusitânia

Resultados Finais da 20ª Jornada (1ª Fase)

Galitos Barreiro 77-81 SL BENFICA
Terceira Basket 78-89 CAB Madeira
Lusitânia 84-91 V. Guimarães
Oliveirense 94-66 Illiabum 
FC Porto 98-64 Esgueira
Ovarense 72-67 Imortal


Em casa do Sporting de Braga, foi o Benfica a sorrir num encontro respeitante aos Oitavos de Final da Taça de Portugal de Futsal. Vitória encarnada por 3-4, após prolongamento.

Jogo tremendamente electrizante, como espelham os números finais. Facto curioso: todos os marcadores dos golos encarnados já passaram pelo Braga. Iremos disputar a "Final 8", marcada para final de Março em Gondomar. Sporting, Quinta dos Lombos, Futsal Azeméis, Belenenses, Módicus, AD Fundão e Burinhosa também estarão presentes.

Contra a corrente do jogo, aos 8 min, os minhotos inauguraram o marcador, mercê de uma perda de bola de Robinho num momento em que Roncaglio se encontrava subido no terreno. Com a baliza escancarada, Tiago Correia desbloqueou o nulo no marcador. Quatro min volvidos, novo tento bracarense. Cássio fez com que a sua equipa fosse a vencer 2-0 para o intervalo. Soaram os alarmes. O Benfica estava numa situação complicada. Era favorito mas o Braga em sua casa tem sempre uma palavra a dizer...

O Benfica até criava oportunidades, mas prevalecia a ineficácia. Na segunda parte o cenário mudou. As águias reduziram a desvantagem, cerca de 3 min depois do reatamento, numa lance elaborado por dois ex-Braga. Já próximo do meio da etapa complementar, surgiram dois golos de rajadas para os rapazes da Luz. Tiago Brito assistiu e Fábio Cecílio materializou em golo. O outro ex-Braga, empatou a contenda. Remate desferido por Rafael Henmi sofreu um desvio em André Coelho. Faltava Tiago Brito marcar para completar o lote de ex-Braga. O canhoto apareceu no sítio certo para consumar a cambalhota no marcador. A partir daí, as águias mudaram a estratégia e optaram por controlar as incidências. Naturalmente a equipa de Paulo Tavares arriscou com o "5 para 4", aposta que não tardou a surtir efeito, com o restabelecimento da igualdade a aproximadamente 3 min do fim da partida. Tudo ficou adiado para o tempo extra.

Perto do final da 1ª parte do prolongamento, André Coelho bisou na partida com um tiro de meia distância que se revelou decisivo. Até ao final, a formação de Paulo Tavares voltou a utilizar a estratégia de guarda-redes avançado, mas desta vez sem sucesso. O Benfica venceu assim a eliminatória e segue em frente.

Resultado Final dos Oitavos de Final

Sp. Braga 3-4 (a.p.) SL BENFICA


Voleibol benfiquista não desarma e prossegue firme na senda dos triunfos. Sem apelo nem agravo, garantiu o importantíssimo "factor casa" nos Playoffs e assegurou presença na "Final Four" da Taça de Portugal.

Na recepção ao Castêlo da Maia Ginásio Clube, os pupilos de Marcel Matz não facilitaram e venceram pela margem máxima (25-18; 25-21; 25-15), em jogo correspondente à 25ª e penúltima Jornada da 1ª Fase do Campeonato Nacional.

Com efeito, o colectivo encarnado carimbou a vitória na fase regular, em consequência disso iremos dispor do "factor casa" nos Playoffs, e aumentou a distância pontual relativamente ao Sporting. Os leões perderam um ponto na recepção à Fonte Bastardo.

Theo, Rapha, Fred Winters, Honoré, Zelão, Tiago Violas, Ivo Casas. Este foi o elenco titular. No cômputo geral, foi um jogo de sentido único. A confiança que todos os atletas demonstram encontra-se bem representada na nossa forma de jogar. Todos se sentem úteis e há uma grande coesão. Em campo, viu-se um Benfica a causar mossa no serviço e regular a todos os níveis. O técnico encarnado ao longo do jogo, particularmente na fase decisiva dos sets como tem sido timbre, promoveu alterações, fazendo uso da profundidade do plantel à sua disposição.

No Domingo, eliminamos por 3-0 o Vitória de Guimarães, num encontro a contar para os Quartos de Final da Taça de Portugal.

Estamos na "Final 4" da competição, que se irá realizar a meio deste mês de Março em Sines. Fonte Bastardo e Ac. São Mamede também já se qualificaram. Falta saber o vencedor do Sporting vs Esmoriz.

Os parciais (25-15; 25-19; 25-14) ilustram bem a supremacia encarnada. Excepto no segundo set, pontualmente com alguns erros, as águias globalmente estiveram sempre no controlo do jogo e não permitiram quaisquer veleidades ao opositor minhoto. Matz rodou logicamente o plantel. Nuno Pinheiro, André Lopes e Hugo Gaspar, por exemplo, foram utilizados.

Resultados Finais da 25ª Jornada (1ª Fase)

SL BENFICA 3-0 Castêlo da Maia (25-18; 25-21; 25-15)
V. Guimarães 3-0 Leixões (25-21; 25-18; 25-21)
Esmoriz 3-2 Famalicense (25-19; 25-19; 27-29; 20-25; 15-11)
Sp. Espinho 3-1 SC Caldas (25-14; 25-18; 24-26; 25-23)
Sporting 3-2 Fonte Bastardo (25-16; 25-21; 15-25; 22-25; 15-12)
Ac. São Mamede 1-3 VC Viana (25-23; 21-25; 22-25; 19-25)
Clube K 3-0 Ac. Espinho, (25-18; 25-19; 25-9)

Resultado Final dos Quartos de Final

SL BENFICA 3-0 V. Guimarães (25-15; 25-19; 25-14)


No reduto do Sporting Clube Marinhense e com uma excelente moldura humana que proporcionou uma bonita atmosfera, os homens de "águia ao peito" alcançaram uma vitória por três bolas a uma, numa batalha relativa à 19ª Jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins.

Vencemos na pista do último classificado mas foram evidentes as dificuldades. O resultado final não revela bons indicadores, no sentido em que era expectável que a significativa maior valia individual das águias redundasse num triunfo expressivo. Dragões e leões dividem a liderança. Oliveirense caiu para o terceiro posto derivado do desaire consentido na pista do FC Porto.

A formação orientada por Alejandro Domínguez foi melhor e mereceu a conquista dos três pontos. Mas a equipa da casa, que está praticamente condenada à descida para a II Divisão, actuou de forma empolgada e lutou bravamente. Foram dignos vencidos. E por certo deixou orgulhosa a sua massa adepta que encheu o Pavilhão da Embra.

O conjunto da casa teve uma boa perfomance, reiterando, com uma defesa unida e concentrada, alicerçada num guardião inspirado, e apostando no erro contrário para sair em transição para o ataque. Por seu turno, as águias não tiveram um dia feliz em termos de eficácia, particularmente nas bolas paradas, e revelaram problemas na recuperação defensiva. O nulo no marcador foi desfeito a meio da primeira parte por intermédio de Carlos Nicolia. Já próximo do intervalo, a equipa da Marinha Grande empatou a contenda, numa investida sem a devida oposição encarnada.

Na segunda parte, o jogo continuou numa toada idêntica à dos 25 min iniciais. Costuma-se dizer que "quem não mata, morre", e isso foi possível vislumbrar-se na pista. Sensivelmente a meio da etapa complementar, o Marinhense enviou uma bola à trave e na resposta Lucas Ordoñez recolou as águias na dianteira do "score". Pouco depois, num lance aparentemente algo confuso, Diogo Rafael fechou as contas da partida. Foco centra-se agora na Liga Europeia, num jogo para cumprir calendário.

Resultados Finais da 19ª Jornada

SC Marinhense 1-3 SL BENFICA
Sporting 12-5 HC Turquel
HC Braga 7-3 Sp. Tomar
AD Valongo 2-5 AD Oeiras
Riba D'Ave 4-4 Juv. Viana
OC Barcelos 3-1 Paço de Arcos
FC Porto 6-5 Oliveirense


Regresso ao trilho das vitórias. Comandados de Carlos Resende suplantaram claramente o Madeira SAD, por 33-25, em jogo alusivo à 15ª Jornada da 1ª Fase do Campeonato Nacional de Andebol.

Triunfo justo, que premeia um Benfica mais incisivo. Maior frescura física contribuiu para o dilatar da vantagem nos segundos 30 min. De frisar a prestação de Alexandre Cavalcanti, principalmente em termos ofensivos (8 golos).

O jogo começou numa toada manifestamente aberta e equilibrada, com os ataques a sobreporem-se às defesas nos 10 min iniciais. Os insulares estavam atrevidos e as águias estavam apáticas no plano defensivo, levando o técnico benfiquista a substituir o titular Borko Ristovski por Hugo Figueira a 11 min do intervalo. A verdade é que o Benfica melhorou defensivamente e continuou solto no ataque, atingindo uma vantagem de três golos. Ao intervalo, vencia por 16-14.

Certamente no balneário Resende alertou os seus atletas para a necessidade de impor uma maior agressividade no sector defensivo. Até porque foi isso que se verificou. Reentrada com maior intensidade e solidez defensiva e desenvoltura na componente ofensiva, descolando no marcador (22-16). O Benfica continuou a alargar a vantagem (28-19). O timoneiro encarnado com o jogo praticamente resolvido a nosso favor não descurou a possibilidade de dar oportunidade ao jovem pivot Pedro Loureiro, Stefan Terzic e João Silva, este último recuperado de lesão. E encarnados geriram tranquilamente até ao fim.

Resultados Finais da 15ª Jornada (1ª Fase)

SL BENFICA 33-25 Madeira SAD
Belenenses 28-22 ISMAI
FC Porto 44-17 CCR Fermentões
Águas Santas 26-22 AA Avanca
ABC 21-32 Sporting
Sp. Horta 36-33 Arsenal Clube Devesa
AC Fafe 17-24 Boa Hora FC


Para consulta de tudo sobre a época 2018/2019 das modalidades, pode ver aqui:





Porque o SL Benfica não é só Futebol...

SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!


Sem comentários:

Publicar um comentário