quarta-feira, 29 de março de 2017

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

Museu Cosme Damião mais rico! Depois da conquista da 22ª Taça de Portugal de Basquetebol do nosso glorioso palmarés. Ênfase também para a brilhante vitória dos rapazes do Andebol na recepção aos alemães que permite acalentar esperanças para continuar a aventura europeia. Em sentido contrário, em Voleibol claudicamos no início da batalha rumo à Final dos Playoffs.

Confira o rescaldo e análise do passado fim de semana.


No Pavilhão Multiusos de Gondomar, o SL Benfica conquistou pela 4ª temporada consecutiva a Taça de Portugal de Basquetebol, após vencer o CAB Madeira por claros 85-67 no embate decisivo. Notável. Parabéns!

Illiabum e Vitória de Guimarães foram os restantes adversários na 'Final 8' da competição. Três sólidas exibições culminaram na aguardada revalidação do título e segunda conquista da temporada para os pupilos de Carlos Lisboa. A nossa equipa pauta-se por considerável individualismo no ataque ao cesto e, nesse particular, nos lançamentos, nas penetrações, nos desequilíbrios, Carlos Morais e Damian Hollis estiveram a excelente nível. Defensivamente procuramos, no cômputo geral, impedir os intentos contrários, com agressividade e solidariedade, e fomos bem sucedidos na área restritiva, como por exemplo na luta dos ressaltos

Para os Quartos de Final, defrontamos e afastamos o Illiabum, na Sexta-feira, por 78-57. Carlos Andrade foi o MVP do desafio, com 13 pontos e 6 ressaltos (22.5 de valorização), auxiliado por Hollis, com 14 pontos e 6 ressaltos, e por Carlos Morais, melhor marcador com 21 pontos.

Com uma entrada demolidora (parcial de 14-0), o Benfica chegou ao final do 1º Período a vencer por categóricos 22-7. O técnico benfiquista promoveu entretanto rotação do plantel e viu o rival diminuir drasticamente diferenças, registando-se 38-31 ao intervalo. Várias precipitações no ataque e algum desleixo defensivo na origem da fase menos boa dos encarnados na partida.

A diferença final estabeleceu-se a partir da parte final do 3º Período (parcial de 16-0), concluído com 57-45 favorável às águias. Nos derradeiros 10 min a normalidade estava reposta e a passagem estava assegurada, salvo uma hecatombe, e o colectivo às ordens de Carlos Lisboa dilataram diferença até final.

No dia seguinte, batemos o Vitória de Guimarães por 81-60 e, por conseguinte, asseguramos presença na Final da prova. A formação vitoriana eliminou a Oliveirense, no tempo extra, por 73-71, confirmando o acesso às Meias Finais.

Quanto ao jogo de Sábado, num jogo em que se registou uma bonita moldura humana, com ambas as equipas bem representadas nas bancadas, desde cedo se percebeu que os encarnados estavam determinados na qualificação para a Final. Os triplos caíam de forma manifesta, com Carlos Morais (MVP com 21 pontos) novamente em destaque, e estávamos seguros na defesa da nossa tabela. Assim se resume a 1ª parte, que se saldou por uns 44-25 a favor do Benfica.

No entanto, no reatamento do jogo vislumbrou-se um V. Guimarães mais organizado e aguerrido nas suas acções e que encurtou para 49-40. Nesse momento soaram os alarmes nas hostes encarnadas e até final do 3º Período (64-47) a supremacia benfiquista se acentuou efectivamente, com maior concentração nas acções defensivas e maior esclarecimento no ataque, e foi ampliada até ao apito final. Nota final para o regresso de Derek Raivio (13 pontos e 7 assistências) ao nível que já se exibiu e que se coaduna melhor com a sua qualidade.

Na Final, encontro marcado com CAB Madeira, equipa que compete no Grupo B da 2ª Fase do campeonato e que tinha despachado 
Lusitânia e Galitos Barreiro. As águias acabariam por confirmar o favoritismo e, através de Tomás Barroso, erguer o imponente troféu pela 22ª ocasião na sua História, depois de vencerem por 85-67, levando as largas dezenas de benfiquistas presentes em Gondomar ao rubro.

Raivio, que actua na posição de Base, foi premiado com a titularidade, depois da boa actuação na Meia Final. Nuno Oliveira, um dos eleitos da equipa inicial nos dois jogos anteriores, ficou no banco. No 1º Período registou-se uma expressiva superioridade dos ataques aos processos defensivos, de tal modo que ao cabo de 10 min de jogo o marcador assinalava 27-22 a favor do Benfica. Ambas as formações apresentavam-se eficazes no tiro exterior (SLB terminou o jogo com 56% (14/25) na linha de 3 pontos), com vários atiradores inspirados. Do lado encarnado, Carlos Morais estava endiabrado e os triplos sucederam-se durante o jogo. O internacional angolano foi consagrado MVP da Final, somando 26 pontos e 27.5 de valorização.

No 2º Período, o equilíbrio foi ainda mais evidente, com várias alternâncias no comando do marcador. Os jogadores que vieram do banco não conseguiram alterar o rumo dos acontecimentos e ao intervalo vencíamos tangencialmente por 40-39.

O CAB disputou o jogo enquanto foi capaz e possível. Ofereceu uma excelente réplica, aliás. Porém, com uma equipa parca em opções de qualidade, naturalmente o conjunto oriundo do arquipélago da Madeira acusou desgaste físico e as águias, conduzidas também pela eficácia de Hollis nos lançamentos longos, aproveitaram esse factor para descolarem definitivamente no marcador, a partir do 3º Período, e atingirem a diferença máxima, já dentro dos min finais.

Final 8 da Taça de Portugal

1/4 Final

SL BENFICA 78-57 Illiabum
Oliveirense 71-73 (a.p.) V. Guimarães
Terceira Basket 49-65 Galitos Barreiro
CAB Madeira 83-75 Lusitânia

1/2 Final

SL BENFICA 81-60 V. Guimarães
CAB Madeira 79-74 (a.p.) Galitos Barreiro

Final

SL BENFICA 85-67 CAB Madeira


Outro grande destaque do fim de semana vai para a equipa de Andebol que derrotou, por 26-24 na Luz, o MT Melsugen da Alemanha em jogo da 5ª Jornada do Grupo D da Taça EHF.

Jogo difícil em que os encarnados, na segunda parte, se exibiram a um nível de qualidade superior. Arrancaram melhor os visitantes, com o Benfica cedo a ter muitas dificuldades no ataque, perante o denso muro visitante que se opunha ao caminho dos encarnados. Só Alexandre Cavalcanti conseguia ultrapassar a defensiva contrária. Foi valendo o trabalho do Benfica na defesa, nomeadamente a explorar bem o contra-ataque, e foi neste aspecto especifico do jogo que o Benfica recuperou no marcador, através da eficácia de João Pais e Davide Carvalho.

Aos 18 min da primeira parte o marcador atingiu os 9-6, mas a exclusão de Cavalcanti combinada com muitas trocas operadas por Mariano Ortega cortou um pouco o ritmo, e os alemães aproveitaram para empatar a 11 e, depois da desqualificação de Elledy Semedo, retomarem a liderança do marcador, que estava em 12-14 ao intervalo.

Na segunda parte veio o melhor Benfica. Tudo começou com a entrada de Hugo Figueira para a baliza. Na segunda parte sofreu somente 9 golos, e fez certamente mais defesas do que sofreu golos. Um rendimento muito alto do gigante na baliza encarnada! No ataque, com Belone Moreira em dificuldades, Cavalcanti assumiu as despesas divididas com Fábio Vidrago, muito em jogo e autor de golos de difícil execução. Em tarde sim, Tiago Pereira foi o maestro do ataque encarnado.

Outro dos homens do jogo foi sem dúvida Paulo Moreno. Com a lesão de Ales Silva, Moreno jogou quase todo o tempo, quer no ataque quer na defesa, apenas descansou em alguns ataques, onde Valter Soares lutou bravamente contra adversários com o dobro da envergadura. Ganhou inclusivamente um livre de 7 metros, capítulo do jogo onde o Benfica esteve desastrado, Belone (2), Cavalcanti e Luka Rakovic falharam todos antes de Alex marcar a 5ª tentativa do jogo.

Logo a seguir a esse golo, Tiago Pereira faria o 24-21 a 2 min do fim. Nos nervos finais o Benfica teve de aguentar a pressão do Melsugen a campo inteiro para conseguir fechar o jogo em vantagem. 26-24 o resultado de uma brilhante vitória, alicerçada em aspectos que temos referidos ao longo da temporada: coesão e solidariedade na defensiva para fazer frente a uma equipa de maior porte físico, concentração para aproveitar as falhas técnicas contrárias em contra-ataques venenosos, procura de melhores soluções de remate no ataque. De assinalar, e não será puro acaso, que Mariano Ortega praticamente não mexeu na equipa na segunda parte, e é assim que tem de ser, quando os jogadores estão bem não há necessidade de rodar por decreto.

Com este resultado o Benfica ascende ao 1º lugar do grupo, mas não tem a qualificação garantida. Mas as contas são simples! Em caso de vitória ou empate no terreno do Helvetia Anaitasuna no próximo Sábado, o SL Benfica vence o grupo e será cabeça de série no sorteio dos 1/4 Final, algo que será muito muito importante para ter um acesso mais favorável à 'Final Four'.

Em caso de derrota, se a mesma for até uma diferença de 3 golos inclusive, o Benfica será qualificado em 2º lugar, e não será cabeça de série nos 1/4 Final. Em caso de derrota por mais de 3 golos, o Benfica ficará em 3º lugar (o Melsugen deverá derrotar o Cocks sem dificuldades em casa) e será eliminado.

Resultados Finais da 5ª Jornada do Grupo D da Taça EHF

SL BENFICA 26-24 MT Melsungen
Cocks 28-33 Helvetia Anaitasuna


Regresso às vitórias no Campeonato Nacional de Hóquei em Patins. O Benfica saiu com os três pontos da deslocação a Turquel, em jogo em que o triunfo por 6-4 é escasso face à qualidade que o Benfica impôs em campo. Com Guillem Trabal de regresso à baliza, os encarnados entraram fortes e apostados em colocar o jogo numa rotação muito elevada, que deixasse o HC Turquel de rastos.

E o plano foi bem sucedido. O Benfica adiantou-se no marcador por João Rodrigues na cobrança de uma grande penalidade, e faria o 0-2 pelo homem da tarde, Diogo Rafael. A equipa da casa tinha dificuldades em reagir, conseguiu através de um remate surpreendente de Luís Silva, e através das muitas faltas que iam sendo averbadas ao Benfica, que ainda na primeira parte chegou à 10ª falta, com Trabal a defender o remate de Luís Silva.

Talvez para equilibrar um pouco uma arbitragem que ia sendo lamentável, o Benfica beneficiou de um livre directo resultante de um duvidoso cartão azul. Na cobraa exímia Jordi Adroher fez o 1-3. Nesta fase do jogo o Benfica acelerava muito, e num contra-ataque muito bem desenhado entre Carlos Nicolia, Miguel Rocha e Valter Neves surgiu o 1-4. Até ao intervalo, com o quarteto Miguel, Diogo, João e Jordi em altíssima rotação, mais golos só não surgiram graças a Marco Barros, muito bem na baliza do HC Turquel.

O recomeço do jogo trouxe troca na baliza do Benfica, Diogo Almeida rendeu Trabal (que se sentiu indisposto). Entrou bem Diogo, e entrou bem o Benfica, mas em mais um momento daqueles, o jogo ficou relançado. João Rodrigues fez o 1-5, em golo anulado por Luís Peixoto depois de João Duarte, melhor colocado, ter validado. Na jogada seguinte cartão azul a Miguel Rocha, e Vasco Luís da marca de livre directo a fazer o 2-4.

Mas uma vez mais, o Benfica meteu "prego a fundo", e agora de regresso ao quarteto de campo inicial, fez mais dois golos. A sociedade Nicolia/Diogo Rafael deu frutos, e o filho da terra selou um "hat-trick" que disparou o marcador para 2-6. O Benfica tinha o jogo controlado, mas teria que ter atenção às faltas. Pedro Nunes foi rodando a equipa, João Sardo jogou vários minutos e esteve perto de marcar.

O Benfica teve também, uma vez mais, 2 min de "power-play" a seu favor depois de Adroher falhar um livre directo, em que rematou muito mas sem eficácia. Um aspecto a rever, que já tem sido falado aqui no blog. Na parte final do jogo, a partida complicou ligeiramente, uma vez que o Turquel nunca baixa os braços e lutou até ao fim. João Silva bisou, embora o primeiro dos 2 golos seja claramente ilegal, já que "cortou" a bola com o bordo superior do stick, algo que não é permitido. Após o 4-6 a equipa da casa galvanizou-se, mas o Benfica soube gerir o jogo e a bola, e quando vacilou defensivamente, Diogo Almeida respondeu à altura.

Tudo na mesma no campeonato depois de todo o pelotão da frente ter ganho, o Benfica volta aos jogos do campeonato no dia 8 em casa frente ao Sp. Tomar, e espera-se, finalmente com toda a equipa disponível, depois de Tiago Rafael ter cumprido o último jogo de castigo nesta partida.

Resultados Finais da 18ª Jornada

HC Turquel 4-6 SL BENFICA
Sp. Tomar 2-4 Oliveirense
Paço de Arcos 1-5 Sporting
OC Barcelos 6-2 Riba D'Ave
Juv. Viana 6-2 AD Valongo
Valença HC 1-4 FC Porto
Candelária 8-2 AD Sanjoanense


Nos Açores, Ilha Terceira, diante da Fonte Bastardo, o SL Benfica perdeu o primeiro confronto das Meias Finais dos Playoffs do Campeonato Nacional de Voleibol, num jogo resolvido apenas no 5º e último set.

Encarnados estiveram a vencer por 0-2, em sets, o que indicava uma confortável vantagem adquirida, mas permitiram que a turma açoriana operasse a reviravolta e se adiantasse na eliminatória discutida à melhor de cinco jogos.

Os dois sets iniciais foram semelhantes, uma vez que desde cedo o Benfica tomou conta do marcador e o parciais sorriram às águias, por 19-25 e 22-25, respectivamente.

Os homens da casa aproveitaram a oscilação de rendimento por parte da formação benfiquista e venceram a partida. Benfica voltou a revelar inconsistência ao nível da recepção. Claro está que a ausência de André Lopes enfraqueceu a equipa encarnada neste aspecto.

O desaire na Final da Taça de Portugal já lá vai e agora é tempo de nos focarmos no que há para ganhar e que é essencial - recuperar o ceptro nacional.  Precisamos obrigatoriamente de voltar a exibir-nos a um nível elevado e regular para ultrapassar este duro obstáculo em direcção à Final do campeonato. Seguem-se dois jogos fundamentais na Luz, no fim de semana que se aproxima, em que só interessa vencer frente ao Campeão Nacional da modalidade.

(Em actualização)

Resultado Final do Jogo 1 das Meias Finais dos Playoffs

Fonte Bastado 3-2 SL BENFICA (19-25; 22-25; 25-22; 25-19; 15-12)


Para consulta de tudo sobre a época 2016/2017 das modalidades, pode ver aqui:

Feminino - http://benficaecletico.blogspot.pt/p/feminino.html

Andebol - http://benficaecletico.blogspot.pt/p/andebol.html

Basquetebol - http://benficaecletico.blogspot.pt/p/basquetebol.html

Futsal - http://benficaecletico.blogspot.pt/p/futsal.html

Hóquei em Patins - http://benficaecletico.blogspot.pt/p/hoquei-em-patins.html

Voleibol - http://benficaecletico.blogspot.pt/p/voleibol.html


Porque o SL Benfica não é só Futebol...

SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!